terça-feira, setembro 13, 2011

Queer pop (13/30): Culture Club


Do You Really Want To Hurt Me? (1982) dos Culture Club 
Realização de Julien Temple 

Já tinham editado dois singles antes, mas foi ao som de Do You Really want To Hurt Me? Que, em finais de 1982, os Culture Club entraram no mapa mundo da cultura pop, fazendo da figura andrógina de Boy George um dos ícones maiores dos anos 80. A canção, suportada por uma estrutura rítmica reggae, foi o cartão de visita para o álbum de estreia do grupo. E, mesmo não levantando na época um discurso queer por parte dos músicos, é hoje recordada como um marco na história das ligações da cultura pop com a comunidade LGBT. 

Foi Julien Temple, um dos mais bem sucedidos e disputados entre os realizadores de telediscos em inícios dos oitentas, quem tomou a seu cargo a realização do pequeno filme que acompanhou o lançamento de Do You Really want To Hurt Me? As imagens exploraram bem a figura andrógina do vocalista (que, em telediscos subsequentes, surgiria em poses, trajes e com maquilhagens bem mais exuberantes).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Assine, sempre que possível, o seu comentário.