quarta-feira, janeiro 13, 2010

:Amarcord




Amarcord “Amarcord”: vagueando de estação em estação, num passado que já foi e que ainda é, e volvido nas memórias que uma simples história pessoal foi construindo, o autor cria uma fábula extraordinariamente memorável. É, principalmente, por nos trazer à memória o espectro da nostalgia, da magia e dos tempos dourados da infância, com um tom humana e profundamente divertido e real, que este filme atinge o sublime e a excelência. Dotado de uma riqueza tão pura e tão sincera, quer nas personagens como nos diferentes e intemporais episódios, “Amacord” completa-se com a fusão total da narrativa, da imagem e das belíssimas baladas de Nino Rota… É tudo menos fácil digerir a risonha obra-prima de Federico Fellini - por vezes, simplesmente, a perfeição deixa-nos assim, comovidos até onde seria impossível.
10/10

3 comentários:

  1. ;D Adoraste, não foi? É genial, genial... A melhor comédia da minha vida. Hilariante. Grande grande obra-prima! 5/5 ou 10/10 xD!

    A minha obra favorita do realizador, até à data ;) Só pela descoberta de um filme como este já vale a pena a iniciativa.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  2. Roberto, nem mais... é, também, a comédia da minha vida!

    ResponderEliminar
  3. Um comentário sucinto e bem conseguido do muito que Amarcord representa. Também para mim o melhor do que vi de Fellini, uma comédia que simplesmente não desaponta, com luxuosos momentos de boa disposição.

    ResponderEliminar

Assine, sempre que possível, o seu comentário.