terça-feira, dezembro 20, 2011

Um Filme Indiscreto


É certamente uma das imagens mais marcantes que pudemos ver este ano no que toca ao cinema português. Ainda que por aqui já tenhamos falado de Um Filme Português, de Levi Martins, Vitor Alves, Miguel Cipriano, Jorge Jácome, Vanessa Sousa Dias e Carlos Pereira, não é de esquecer que a matéria de um filme pode reflectir (sobre) tudo, até de ele mesmo. Curiosamente, ou talvez não, esta representação das vivências domésticas (alguém falou na Janela Indiscreta, de Alfred Hitchcock?) assinala um denominador comum – a televisão, portadora da correria desenfreada dos nossos tempos (vemos Oprah Winfrey em baixo, outro canal indistinto mais em cima…). A missão do cinema parece ser, por isso, antes de dar a ver, olhar e fixar-se no objecto filmado como se o tempo deixasse de correr. E essa capacidade, para além de ser exclusivamente cinematográfica, transcende qualquer proveniência geográfica.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Assine, sempre que possível, o seu comentário.