segunda-feira, janeiro 13, 2014

2013, utopia do amor

Um balanço amadurecido do cinema de 2013 evoca a imagem com que L'Inconnu du Lac abre: um descampado que é um parque de estacionamento que é um lugar de cruzamentos românticos que é um lugar onde a morte sobrevoa como uma inevitabilidade... Daqueles que chegaram às salas portuguesas destaco esta mão de títulos, que de algum modo prolongam o seu poder transgressivo e íntimo. Das promessas de uma indústria em implosão estes são os mesmos filmes que parecem continuar em busca de um novo espírito romântico, entre o desencanto, o político e a utopia (Spring Breakers sendo a expressão retratista tão desajeitada como precisa dos novos desejos pop). Esse olhar não escapa já à ideia premente de voyeurismo (Guiraudie é brilhante a montar este "terceiro testemunho") e poderá porventura ambicionar o sagrado, diz-nos Malick, empenhado em filmar corpos sensíveis, na dança das suas incertezas, banhados pela luz que ressuscitar esse distante sentimento, que continua rejeitado, do maravilhamento.
  1. To the Wonder, Terrence Malick 
  2. L'Inconnu du Lac, Alain Guiraudie 
  3. La Vie d'Adèle: Chapitres 1 et 2, Abdellatif Kechiche 
  4. Camille Claudel 1915, Bruno Dumont 
  5. Behind the Candelabra, Steven Soderbergh 
  6. Like Someone in Love, Abbas Kiarostami 
  7. Lincoln, Steven Spielberg 
  8. Faust, Aleksandr Sokurov 
  9. Spring Breakers, Harmony Korine
  10. Da-reun na-ra-e-seo, Hong Sang-soo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Assine, sempre que possível, o seu comentário.