quarta-feira, novembro 07, 2012

Antevisão
Lisbon & Estoril Film Festival - Parte 1

Chegado o mês de Novembro é altura de nova edição do Lisbon & Estoril Film Festival. Entre os dias 9 e 18 vamos acompanhar este que é cada vez mais o festival de cinema de referência em Portugal, nos diferentes lugares de exibição a que o Leffest se propõe desde a edição do ano passado: Cinema Monumental, Espaço Nimas, Cinema São Jorge, CCB, Cinemateca e Museu da História e da Ciência (Lisboa), e Centro de Congressos do Estoril, Casino Estoril e Casa das Histórias (Estoril).

Fazemos então a antevisão do que vai ser este festival, assinalando algumas das sessões e filmes merecedores do nosso destaque.

Dia 9 – No dia inaugural atenção principal para o filme de abertura – a antestreia de The Master de Paul Thomas Anderson. Uma aposta do Leffest num dos filmes mais aguardados do ano, com o regresso daquele que é um dos cineastas contemporâneos de maior relevância internacional. Depois de, em 2007, nos ter apresentado o fabuloso Haverá Sangue, Thomas Anderson chega até nós com uma obra que, juntando no ecrã Philip Seymour Hoffman e Joaquin Phoenix, nos mostra a história passada nos anos 50 nos Estados Unidos de um intelectual que toma como braço direito um ex-alcoólico na edificação de uma nova ordem religiosa. O filme desenvolve e o personagem de Phoenix começa a tomar consciência da sua falta de crença. Premiado em Veneza com o Leão de Prata para o melhor realizador, este é um filme que não se pode perder. (Centro de Congressos Do Estoril – 18h30 + Cinema Monumental – Sala 4 – 22h)

Dia 10 – Segundo dia de festival e outra antestreia de peso: da selecção oficial – fora de competição, chega-nos Amour, de Michael Haneke, Palma de Ouro na última edição do festival de Cannes, um filme sobre a morte e a velhice, a degradação do Homem e o amor. O realizador que nos acostumou, ao longo a sua obra, a um olhar passivo-agressivo sobre alguns dos temas definidores da condição humana, distancia-se com este filme da crueldade inata perante a morte e o sofrimento do seu último O Laço Branco e coloca em paralelo com o destino do corpo o amor e a sua perseverança. (Cinema Monumental – Sala 4 – 22h) + (dia 17 - Centro de Congressos Do Estoril – 24h)

Dia 11 – Destaque para três sessões: Dans La Maison de François Ozon, Lawrence Anyways de Xavier Dolan seguido de conversa com o actor principal do filme, Melvil Poupaud, e Bob Wilson’s Life and Death of Marina Abramovic com a sessão a ser encerrada após conversa com Willem Defoe e Giada Colagrande.

Dans La Maison – Mostra a história de um aluno de 16 anos que, após conseguir invadir o espaço privado da família de um dos seus colegas, resolve descrever os acontecimentos que presencia (enquanto escondido) num trabalho escrito. As dores de crescimento e o voyeurismo parecem estar mais uma vez no centro do filme, temas recorrentes na obra de Ozon, em filmes como Les Amants Criminels, Swimming Pool, La Refuge e mesmo no hilariante 8 femmes. Premiado pela crítica internacional no Festival de Toronto em 2012. (Cinema Monumental – Sala 4 – 19h)

Lawrence Anyways – Filme em competição – selecção oficial. Com apenas 23 anos, Xavier Dolan conta-nos a história de um homem (Melvil Poupaud) que decide tornar-se mulher, e a sua luta na tentativa de manter a relação com a noiva (Suzanne Clément) após a decisão. Numa procura incessante pelo sua própria identidade o protagonista entra em confronto com questões sociais basilares, e com as problemáticas familiares e o conceito de dignidade. Após duas longas-metragens que ficaram aquém das espectativas e se perderam nas intenções plásticas, pode ser que desta vez o kitsch do imaginário de Dolan reforce as questões dramáticas em vez de lhes servir de moleta. O filme esteve em competição na secção Un Certain Regard no último festival de Cannes. (Centro de Congressos Do Estoril – 15h + Cinema Monumental – Sala 1 – 21h45)

Bob Wilson’s Life and Death of Marina Abramovic – Na secção CinemArt, trata-se da biografia coreografada e encenada (e, posteriormente, filmada) de uma das mais importantes artistas vivas, Marina Abramovic. Este que é considerado um dos espectáculos maiores  da década reúne um conjunto de personagens que toca diversas áreas artísticas (performance, vídeo-arte, teatro, canto, dança) sob a influência do visionário Robert Wilson, foi filmado por Giada Colagrande e é-nos agora apresentado no grande ecrã. O espectáculo mostra-nos cenas da vida e carreira de Abramovic, desde a sua infância na Sérvia até alguns das suas mais importantes colaborações para a arte performativa; com a colaboração de artistas como Antony Hegarty e Willem Defoe. Um evento que não foi programado em Portugal e que o leffest traz até nós. Imperdível. (Espaço Nimas – 21h) + (dia 18 – Espaço Nimas – 22h)

Dia 12Homenagem a João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata. Os dois realizadores assinaram já várias obras em conjunto, e são hoje dois dos mais importantes olhares da cinematografia portuguesa contemporânea. É exibida no Leffest uma retrospectiva do seu trabalho, que tem início no dia 12 com Parabéns, Esta é a minha Casa, O Pastor, O Fantasma e China, China; com seguimento nos diferentes dias que seguirão do festival. (Sessões inaugurais da homenagem no Espaço Nimas – 20h + 22h)

O Sétimo Continente fará a cobertura do festival a duas mãos: Flávio Gonçalves e Paulo Dinis, que regressa às colaborações no blogue.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Assine, sempre que possível, o seu comentário.