quarta-feira, julho 22, 2009

:4ª Marcha LGBT - Porto

 
  
 
 
 
 (as últimas duas imagens foram retiradas e podem ser vistas aqui)
Aproximadamente mil pessoas - homens, mulheres, hetero/homo/bissexuais e trangéneros, adultos, adolescentes e até mesmo crianças - segundo as autoridades policiais, fizeram ouvir a sua voz entre diversas faixas que reclamavam a igualdade de direitos entre a minoria que é a comunidade LGBT, a saber, o direito ao casamento civil  e à adopção entre casais do mesmo sexo, assim como o fim da discriminação a pessoas de identidades  de género diferentes. Provavelmente, e caso estejam a par do assunto, se a 4º (e até agora, a maior) marcha LGBT se realizasse agora, no Porto, os assuntos a protestar seriam certamente de outra ordem. Uns mascarados, outros não; uns com placas a dizerem tu não sabes, mas sou o teu médico / mas sou mãe de um homossexual / mas sou tua irmã / mas gosto de cães, etc, outros não. Todos gritavam, aos curiosos que se mantinham no passeio de São Cristóvão, Santa Catarina, Passos Manuel  ou da Avenida dos Aliados,  "não à ditadura da heterocultura", "casar ou não, é nossa decisão", "homem ou mulher, eu amo quem quiser", "direitos inteirinhos, não aos bocadinhos", "Portugal precário, sai do armário", "LGBT, não finja que não vê", com uma certa musicalidade e alegria nestes apelos, por saberem fazer parte de um movimento social colectivo. O manifesto deste ano, o qual pode ser visto aqui, foi lido à frente da Câmara do Porto. A marcar negativamente a marcha, esteve a quase completa ausência dos órgãos da comunicação social, assim como cartazes como "antes vir-me que reproduzir-me", como podem ver numa das fotos acima colocadas. Deixo, enfim, o vídeo que resume o que aconteceu no dia 11 deste mês, visualização que recomendo imenso (talvez vos convença a ir no próximo ano!)

4 comentários:

  1. Enquanto vocês todos estavam a caminhar quais parvos, eu estava a ver um concerto no CCB ;D

    ResponderEliminar
  2. Quais parvos? Muito melhor do que um concerto ;)

    ResponderEliminar
  3. Estive mesmo para ir, mas depois acabei por ficar em casa. Não por medos ou pudores, mas por me apetecer mesmo estar descansadinho a ver um filme. ^^

    ResponderEliminar
  4. Tiago, olha que perdeste uma grande oportunidade. Vê se reconsideras para o ano próximo :P
    Abraço

    ResponderEliminar

Assine, sempre que possível, o seu comentário.