terça-feira, fevereiro 17, 2009

:Sobre o Prós e Contras de ontem

Antes de mais, foi um bom e interessante debate (se com isto entendemos uma discussão pacífica e moderada sem lugar a falácias disparatadas - mas se houve ontem, houve). Não vou fazer uma reflexão gigante sobre a minha posição em relação a este tema, até porque espero que seja do vosso conhecimento, mas gostava de lançar algumas anotações:
  • Quantos argumentos fortes e legítimos contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo ouvi? É que voltam a dizer, tal como Eduardo Nogueira Pinto o fez, que o casamento tem um modelo já pré-estabelecido e que desempenha uma função social (aparentemente não válida para os casais com o mesmo sexo), e eu ando a ficar um pouco cansado destas voltas que se tentam fazer para contrariar um direito de liberdade e igualdade que a uma minoria diz respeito. Ah!, pois foi, sempre havia argumentos valiosos contra! Se os gays querem casar, que casem também os pais com os filhos e os pastores com as ovelhas ;)
  • Parabéns, Miguel Vale de Almeida. Parabéns, Isabel Moreira. Muitos parabéns (e também para muitos dos que do lado do "sim" estavam e falaram). Intervenções pertinentes, interessantes, com rigor e objectividade que se pretendia. Conheci figuras que nunca esperei conhecer, e sinto que, com o debate de ontem, já ganhei duas horas. Tenho muito trabalho de pesquisa pela frente, mas será com o maior gosto que procurarei mais informação sobre aqueles que deram voz ao "sim" positivo.
  • Manifestações tristes do público de ambos os lados acabam por espelhar, de alguma forma, o estado actual da nossa sociedade: dividida pela lógica bivalente atroz a que estamos habituados a ver nos dias de hoje, infelizmente.
Se o debate de ontem serviu de alguma coisa? Sim, para muitos poucos. Mas serviu.

P.S.: Sabiam que quem é bissexual sente-se insatisfeito casada só uma pessoa??

19 comentários:

  1. Como sabes, também achei um debate muito interessante! Gostei muito das intervenções dos do "sim": com a indignação, a eloquência e o controlo da palavra necessários. Quanto aos do "não"... ora, temos um Padre a comparar o casamento homossexual ao casamento incestual, e um homem a comparar a escolha da mulher dele em ser dona de casa à característica irreversível que é ser-se homossexual. É preciso dizer mais?

    Sim, os bissexuais só estão satisfeitos se em posse de parceiros de ambos os sexos, aparentemente. Enfim...

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. «Se o debate de ontem serviu de alguma coisa? Sim, para muitos poucos. Mas serviu.»

    Porquê para muitos poucos?

    Achei um debate excelente. Em que os contras nem tiveram oportunidade de dizer alguam coisa de jeito... porque de facto nada poderiam dizer que jeito tivesse.

    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar
  3. Rúben,

    Não, de facto não é! :P

    Roberto,

    Como saberás, a poplação portuguesa em relação a este tema está dividida, e a metade que, ou por ignorância ou por conservadorismo não aceita a união civil entre pessoas do mesmo sexo, não se deixa convencer por pouco. Mudar mentalidades é uma tarefa enormemente difícil, mas acontece.

    Abraço!

    Já agora, fica a sugestão do excelente blog oficial de Miguel Vale de Almeida:
    http://blog.miguelvaledealmeida.net/

    ResponderEliminar
  4. a isabel moreira esteve muito bem!! gostei muito, os que tavam contra nao sabiam o que falavam mas a isabekl moreira deu-lhes uma tareia! gostei muito deste blog, bjnhs

    ResponderEliminar
  5. Eu não vi o debate. Não tive essa oportunidade.

    Quanto ao tema propriamente dito, não gosto muito de discutir ideias que geralmente são muito polémicas. No entanto, evoco, sobretudo o direito à liberdade e creio que isso diz tudo.

    Aquele senso comum de que "a liberdade de uns acaba onde começa a liberdade de outros" não passa, quanto a mim, de um dito que dá jeito... Afinal, o que é a liberdade?

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Flá, ponto número um, não condeno a homossexualidade nem algo que se pareça com isso, contudo acho que o lado do não foi mal escolhido. O debate foi extremamente manipulador, não pude deixar de reparar nisso, a mediadora estava constantemente a "favorecer" o "sim" tendo feito uma péssima mediação, a popstar do caralho não conseguiu ser imparcial, nem tentou...

    A meu ver, não tenho nada contra os homossexuais, sabes disso, nem tenho completa certeza da minha orientaçao. Contudo, acho que estamos organizados por regras, tudo à nossa volta se baseia em regras e pilares éticos e morais, e nisso concordo com o não, por não deveres mudar uma coisa num "conceito" porque isso como consequencia vai fazer com que muitas coisas mudem, da mesma forma que por exemplo no caso do gajinho da religiao catolica, antes de tentar mudar a igreja devia de fazer uma auto-reflexao e ver que a igreja tem as suas regras e os seus pilares, e, se este nao concorda nem simpatiza com eles, não "assume" esse contrato com a religião. Tal facto é tão válido, se me permites a válida analogia com um contrato de trabalho ou outra coisa qualquer, se eu não concordo com as condições/clausulas não o assino nem o aceito. Da mesma forma que eu opto qual a religião que vou seguir, se o homem não está bem com isso muda de religiao e vai ao caminho dele... entre muitas outras coisas que teriamos aqui umas boas horas para falar. Sabes a minha opinião! Sim à liberdade entre os homossexuais se comerem uns aos outros sem descriminaçao por parte das outras pessoas. Não ao casamento!

    Vá flá dog abraço

    ResponderEliminar
  7. vão dormir... O direito à liberdade não implica que o casamento seja "aceite" caso contrário entraríamos numa época de "libertinagem" que nos levaria a uma anarquia total. Entao já que falamos em "direito a liberdade" e que "Aquele senso comum de que "a liberdade de uns acaba onde começa a liberdade de outros" não passa, quanto a mim, de um dito que dá jeito..." porque é que eu, pela causa mais justa não poderei matar? Porque é que não poderei casar-me com 4/5/6 mulheres se elas o aceitarem? etc etc

    ResponderEliminar
  8. Miguel,

    Boa, ainda bem que não estamos a ser exagerados. Eu iria além da anarquia total.

    "tudo à nossa volta se baseia em regras e pilares éticos e morais".. isso faz com que eles sejam os mais correctos? isso faz com que tenhamos que viver com um enorme e constante medo da mudança???? É por isto que a liberdade de pensamento nunca será aceite. Teremos sempre um sistema educativo que privilegia a educação segundo as tais regras que são "aceites" em sociedade e não teremos espaço para a criação de ideias e novos valores. É por isto que a sociedade sofre de anomia. Quer evoluir mas não consegue. E se queres ter quatro ou cinco mulheres, luta por esses direitos e valores ou muda para uma sociedade em que isso seja aceite. Agora, comparar "matar" com casamento homossexual é, no mínimo, ridículo.

    E quem não acreditar na religião? em que lugar se deverá pôr? E são os valores éticos e morais provenientes da religião os melhores para a nossa sociedade???

    ResponderEliminar
  9. Amigo, se são melhores ou não, não sei, mas sei que são bons da prespectiva em que no minimo chegam para manter a "ordem". Não queiras viver sem "ordem"!

    Já agora, visto que anseias tanto essa mudança no pensamento e tendo em conta que estamos em crise: http://www.chilltime.com/?view=comunicar&option=forum&topico=472041

    ResponderEliminar
  10. Comentário ridículo, miguel. Os valores da religião chegam para manter a ordem na nossa sociedade? E eu que pensava que o nosso Estado era laico. Curioso... Concordo com o Fifeco em relação à comparação do casamento homossexual ao homicídio -> mais descabida não podia ser.

    A posição do Não é legítima, se sustentada com argumentos convincentes (coisa que não apresentaste, de longe). A meu ver, permitir o casamento homossexual era algo simples, e, como se referiu no debate, uma mudança que em nada prejudicaria a maioria da sociedade, apenas favoreceria uma minoria. Permitir o casamento não se traduziria, decerto, num boom de homossexuais - agora que se pode casar, a sociedade ia ser toda homossexual? argumento igualmente absurdo, e que já vi ser usado por "defensores" do não -, apenas permitiria o casamento entre aqueles que já tinham intenções de o fazer. É algo simples, e que, em termos legais e etc, só melhoraria a qualidade de vida dos casais homossexuais (sim, porque as pessoas se esquecem de que é da qualidade de vida - em inúmeras situações- de que falamos!).

    Cumprimentos!

    ResponderEliminar
  11. Não vou entrar em debate, dada a plena consciencia da razão que tenho, visto isto, não tenho que argumentar nada... Só argumentaria se soubesse que não tenho razão.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  12. " Não vou entrar em debate, dada a plena consciencia da razão que tenho, visto isto, não tenho que argumentar nada... Só argumentaria se soubesse que não tenho razão."

    Só argumentarias se soubesses que não tens razão? Que raio de lógica de pensamento!

    Já agora, bom blog, Bjs

    ResponderEliminar
  13. Já agora estava a brincar, a lógica é que se estudares retórica perceberás o porquê de só "argumentar" quem sabe que não tem razão. E eu disse ao flavio que ia por isso aqui . Estou a testar a minha argumentação só... ainda tenho que treinar!

    Quem garante que sou contra o casamento homossexual? Preciso de conseguir defender as duas posições para defender melhor a minha ;)

    ResponderEliminar
  14. Não vi o programa, mas pelo que li nos comentários neste blog (muito bom) permito-me deixar aqui a minha simples 'visão' da coisa! Sim, não propriamente opinião de sim ou não.
    Qual a razão do casamento para homen e mulher = pocriar, criar, educar, seguir regras estabelecidas de uma sociedade, etc., certo? Se apenas para viverem em comunhao de interesses, sejam eles quais forem, para que precisam do processo de casamento? ... Uma 'sociedade de responsabilidade limitada' não bastaria para terem todos os bens em 'comunhão' de facto? Para qué legalizar o que á partida não carece de legalidade? Criar 'familia' ... até onde se pretende abusar da 'liberdade' de uns em sacrificio de outros?
    Respeitemos a NATUREZA e como ela se comporta em nosso redor, as plantas, os animais..., os incectos até, ninguem altera a sua origem e ou se o fazem sabem o 'preço' da exclusão! Respeito as opções sexuais de cada um, nada tenho a opor mas não me 'obriguem' a pagar impostos para que certas opções (muito pessoais e minoritárias) tenham direitos de adopção e outros de natureza social, em abosoluta colisão com a origem..., a nossa 'natureza'.
    Passem bem:)
    Oceano.

    ResponderEliminar
  15. Não vi o programa, mas pelo que li nos comentários neste blog (muito bom) permito-me deixar aqui a minha simples 'visão' da coisa! Sim, não propriamente opinião de sim ou não.
    Qual a razão do casamento para homen e mulher = pocriar, criar, educar, seguir regras estabelecidas de uma sociedade, etc., certo? Se apenas para viverem em comunhao de interesses, sejam eles quais forem, para que precisam do processo de casamento? ... Uma 'sociedade de responsabilidade limitada' não bastaria para terem todos os bens em 'comunhão' de facto? Para qué legalizar o que á partida não carece de legalidade? Criar 'familia' ... até onde se pretende abusar da 'liberdade' de uns em sacrificio de outros?
    Respeitemos a NATUREZA e como ela se comporta em nosso redor, as plantas, os animais..., os incectos até, ninguem altera a sua origem e ou se o fazem sabem o 'preço' da exclusão! Respeito as opções sexuais de cada um, nada tenho a opor mas não me 'obriguem' a pagar impostos para que certas opções (muito pessoais e minoritárias) tenham direitos de adopção e outros de natureza social, em abosoluta colisão com a origem..., a nossa 'natureza'.
    Passem bem:)
    Oceano.

    ResponderEliminar
  16. Vânia Pinto Correia:

    Gostei igualmente do desempenho de Isabel Moreira. Obrigado e volta sempre.

    Fifeco,

    Partilho a tua opinião no que respeita os problemas da liberdade. E não me vai parecer que o reajustamento da lei vá tirar os direitos normativos actuais, como sabes.

    Abraço!

    Miguel,

    1) Achei que a moderadora esteve bem, um pouco parcial, mas não desfavoreceu o lado contra os casamentos entre pessoas do mesmo sexo!
    2) O significado dos conceitos muda. Não te podes basear no argumento de que "o termo do casamento se reserva exclusivamente aos heterossexuais, por isso não pode haver para homossexuais" pois, se fosse assim, ainda viveríamos numa sociedade em que só se consideraria um ser humano um branco, por exemplo.
    3) Começaste por misturar argumentos religiosos (inválidos) com uma posição forte que me pareceria legítima caso fosse sustada por outros fundamentos, tal como disse o Rúben. Diz-me: em que é que o casamento gay traria a desordem da sociedade? Que valores seriam postos de lado? Em nome da liberdade, da igualdade e até da justiça legal (até porque é, actualmente, inconstitucional que se proíba a união civil entre homossexuais), acho imperativo que se legalize o casamento.
    4) Argumentarias apenas se não tivesses razão? Miguel, Miguel! Até parece que não tivemos Filosofia.
    Depois discutimos melhor. Isto foi só para te responder!

    Abraço ;)

    Rúben e Carla,
    Obrigado pelas participações. Continuem! ;)

    Anónimo,
    "Qual a razão do casamento para homen e mulher = pocriar, criar, educar, seguir regras estabelecidas de uma sociedade, etc., certo?"
    Errado. Nos dias de hoje, essa visão é até considerada primitiva. Há uma série de privilégios e reconhecimentos fiscais e legais que o casamento origina, com a base de que há criação de família (o que não implica, necessariamente, a existência de filhos, adoptados ou não), com cooperação e fidelidade a longo prazo.
    Já agora, como pode ser "natural" o casamento se é algo criado pelo homem? Deixemos de parte o apelo despropositado à Natureza, por favor!
    Ser-se homossexual não é uma opção. Escolher ser hetero? (parto do pressuposto de que é).

    Cumprimentos.

    Obrigado a todos :)

    ResponderEliminar
  17. Oh, como dizia a minha avó, discussões prolongadas não levam a lado nenhum. ;) Vá, abraço

    ResponderEliminar
  18. ai agora desculpas a falta de sentido dos teus comentários ao chamar-me ignorante? :p ok

    vai treinando :p

    ResponderEliminar
  19. concordo com o casamento CIVIL - nao religiooso! - entre gays e lésbicas. não concorda com adopçao.

    bj

    ResponderEliminar

Assine, sempre que possível, o seu comentário.