segunda-feira, abril 02, 2007

Marnie


Devo dizer que ainda são poucos os filmes deste mítico realizador a que assisti, e Marnie é (e ainda bem) um deles. Descobri-o há alguns dias, quando via televisão à tarde e estavam a passá-lo no canal Hollywood. O filme, pelo que vi, foi um fracasso de bilheteira aquando da sua saída (1964), apesar de contar com Tippi Hedren e Sean Connery no elenco e Hitchcock na realização.
Aqui encontramos a história de uma criminosa, Marnie Edgar, uma ladra compulsiva que, após alguns roubos que cometeu com sucesso, tenta fazer o mesmo a Mark Rutland (um amigo de negócios da última vítima da mulher) mas, depois de o roubar, ele consegue encontrá-la e persuade-a a casar-se com ele. É então que ele descobre que Marnie sente-se insegura perto de homens e que ela tem uma fobia pela cor vermelha…
Prós: a história, a realização, a forma como a trama se desenvolve. Tippi Hedren.
Contras: algumas cenas, como algumas a cavalo, são bastante irrealistas nos nossos dias.

Estranhos

Okay… este filme parecia-me ser excelente. Primeiro, porque o trailer fez-me lembrar uma série que eu adoro, Saw, e, segundo, porque a história parecia intrigante e relembrava-me Cube, pelo facto dos cinco homens terem perdido a memória. Mas, de facto, houve algo que não resultou…
Deixem-me esclarecer-vos em relação ao argumento: cinco homens acordam num armazém e descobrem que estão ali enclausurados sem possível saída. Todos perderam a memória, o que os leva a questionar quem são, o porquê de estarem ali e quem os fechou num armazém. – Interessante, pelo menos para mim. Eu gostei da história e do seu desenvolvimento mas, sei lá, acho que estava à espera de algo mais sangrento e doentio. Apesar de ter gostado – e muito do que vi -, penso que as minhas expectativas eram bastante grandes e, por isso, o filme não as conseguiu cumprir. Contudo, os twists que vão acontecendo exigem que fiquemos atentos a tudo o que se passa, se queremos entender todos os detalhes da trama.
Acima de tudo, vejam-no se gostarem de thrillers com uma história onde há espaço para várias surpresas.
Prós: as personagens, a história. Alguns actores conhecidos marcam presença, como Jim (ou James) Caviezel, e os twists.
Contras: o filme podia ter sido realizado de uma forma mais… entusiasmada, com mais energia e estilo.