domingo, novembro 18, 2007

Alguém tem que Ceder


Provavelmente, a comédia do ano de 2003, ano esse que se apresentou produtivo não só no campo do cinema (dentro deste género, encontramos bons filmes como o extremamente popular "Love Actually" ("O Amor Acontece"), com a actriz portuguesa Lúcia Moniz, e também o "Lost In Translation", ao qual já fiz crítica aqui, "Something's Gotta Give" (ou "Alguém Tem Que Ceder") junta dois titãs da História Cinematográfica, Jack Nicholson e Diane Keaton numa história que tem tanto de divertida como enternecedora. Vejam o meu veredicto sobre este filme da realizadora de "The Holiday" ("O Amor Não Tira Férias", 9.5/10), Nancy Myers.


Decerto que a "Twentieth Century Fox" se deve ter arrependido por recusar fazer este filme devido à idade dos seus protagonistas (na altura, Nicholson tinha 63 e Keaton tinha 57), após ver o seu resultado e a nomeação de Keaton para um Óscar. É engraçado que este tenha sido o motivo da declinação, já que é, a meu ver, um dos pontos fortes do filme: fazer-nos acreditar que, mesmo já passadas três estações da vida, ainda podemos encontrar o amor verdadeiro, que ainda há esperanças.
É aqui também que encontramos a primeira diferença desta comédia romântica em relação a muitas outras lançadas todos os anos pois quantos filmes contam uma história de amor entre dois seniores?



Falemos, então, da história do filme. Harry Sanborn (Nicholson), dono da editora de hip-hop "Drive-By Records" é um homem sucedido que, apesar da idade, nunca casou e que procura prazer junto de mulheres substancialmente mais novas. É assim que ele conhece Marin (Amanda Peet), uma mulher na casa dos 20 anos que o convida a passar o fim-de-semana na casa-de-praia da mãe, Erica Barry (Diane Keaton), uma dramaturga famosa e que está no começo de uma nova peça (que, mais tarde, se revelará um espelho do romance dela com Harry). Nessa noite, quando Harry e Marin se preparam para ter relações sexuais, ele tem um ataque cardíaco e, tendo que ficar a descansar uns dias na casa delas (onde está, também, Zoe, irmã de Erica, vivida por Frances McDormand), a história arranca então definitivamente.



O grande trunfo deste filme é a interacção entre as personagens, que geram diálogos muito divertidos e inteligentes. Erica e Zoe, por exemplo, revelam sempre uma boa química em cena, como se duas irmãs se tratassem, pena a segunda aparecer pouco; por outro lado, os diálogos entre Harry e o seu médico, Julian (vivido por Keanu Reeves) são muitas vezes denotados pela ironia dos acontecimentos - reparem, por exemplo, na cena em que Harry lhe diz que consegue já "subir um lance de escadas". Já os protagonistas, se na primeira parte do filme nos conseguem divertir com as suas provocações mútuos, conseguem também mostrar-se como um par amoroso que convence, depois.
Além disso, convém também salientar os temas das conversas, que muitas vezes são reflexões da nossa finitude como seres vivos, antíteses observadas no comportamento da sociedade, entre outras.



Penso que, assim como muitos diriam que as comédias românticas têm como público-alvo as mulheres, também muitos outros diriam que este filme é irrealista no sentido de que Erica, nos seus 50-quase-60, conseguiria atrair e viver uma relação amorosa com um homem da idade de Julian, por exemplo e se, no segundo ponto, tenho de concordar até certo ponto, no primeiro discordo e muito pois aqui podemos encontrar duas horas que conjugam agradavelmente romance e comédia que cumprem o seu objectivo de nos colocar um sorriso na cara durante (e após) toda a película.



No fim, se me perguntassem se recomendo este filme, eu responderia que sim. Todos gostamos de acreditar que, mesmo envelhecidos, algumas coisas nunca mudarão. Pois bem, este filme certamente vai mudar a vossa opinião caso acreditem que, a partir de uma certa idade, se estiverem sozinhos, terão que se preparar para "encostar às boxes". Eu, pelo menos, gosto de acreditar na mensagem do filme. Bem escrito e realizado, apesar de algumas partes desnecessárias, "Something's Gotta Give" é mais um daqueles filmes para ser numa tarde chuvosa de Inverno (ou, se preferirem, façam aquilo que Harry e Erica fizeram, talvez seja mais interessante), ou numa altura em que precisamos de ser animados. Se assim for, cumpre a sua função. Além disso, graças aos bons actores que foram escolhidos, elevam-no a um patamar acima do típico-filme-de-Domingo-à-tarde. Pena o final um pouco forçado, se não teria levado uma melhor nota minha.
Vejam, sem dúvida que entra para a minha lista de favoritos.

Citações Memoráveis:


Harry: Will you cut me a little slack? My life has just been turned upside down.
Erica: Mine too!
Harry: Well, then let's just each get our bearings.
Erica: I don't want my bearings. I've had my bearings my whole goddamn life. I feel something with you I never really knew existed. Do you know what that's like, after a 20-year marriage to feel something for another person that is so...? That... Oh, Right. Right. Not your problem. God. Do you know that I've written this, but I never really got it? Do you know what this is?
Harry: No.
Erica: [Erica kisses Harry] This is heartbroken. How's that for impervious.

--------------
Harry: I have never lied to you, I have always told you some version of the truth.
Erica: The truth doesn't have versions, okay?

--------------
Harry: Erica, you are a woman to love.

--------------
Julian Mercer: How great is it for you that im not intimidated by your brilliance?

--------------
Harry: I've never seen a woman her age naked before.
Julian Mercer: You're kidding.
Harry: Hey! We're not all doctors, baby.

--------------
Zoe: This is really fascinating, what's going on at this table. Let's take you and Erica. You've been around the block a few times. What are you, around 60? 63. Fantastic! Never married, which as we know, if you were a woman, would be a curse. You'd be an old maid, a spinster. Blah, blah, blah. So instead of pitying you, they write an article about you. Celebrate your never marrying. You're elusive and ungetable, a real catch. Then, there's my gorgeous sister here. Look at her. She is so accomplished. Most successful female playwright since who? Lillian Hellmann? She's over 50, divorced, and she sits in night after night after night because available guys her age want something-forgive me, they want somebody that looks like Marin. The over-50 dating scene is geared towards men leaving older women out. And as a result, the women become more and more productive and therefore, more and more interesting. Which, in turn, makes them even less desirable because as we all know, men- especially older men- are threatened and afraid of productive, interesting women. It is just so clear! Single older women as a demographic are about as fucked a group as can ever exist.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Assine, sempre que possível, o seu comentário.